Igreja de 1500 anos é encontrada em Israel

Israel ainda guarda descobertas arqueológicas que comprovam os relatos de milhares de anos sobre o crescimento da igreja. A descoberta de uma igreja bizantina de 1.500 anos de idade é prova disso.

A igreja foi encontrada durante escavações para ampliação da Rodovia 1, que liga Jerusalém com Tel Aviv. Os estudiosos acreditam que o local servia para atender viajantes que se dirigiam a capital.

O achado arqueológico tem as medidas de 16 metros de comprimento com uma capela lateral de 6,5 por 3,5 metros. Em um local próximo da igreja há uma fonte de água conhecida em Árabe como Ein Naga nos arredores de Bet Negofa.

Com o piso em mosaico branco, na igreja existe um batistério em formato de árvore de quatro folhas e paredes decoradas com afrescos. No templo também havia quartos com grandes quantidades de azulejos de cerâmica, lâmpadas, moedas, copos de vidro, fragmentos de mármore e conchas de madrepérolas.

8 livros que todo cristão deveria ler

01. A Bíblia – Diversos Escritores

A Bíblia Sagrada é um compêndio de livros insperados por Deus (2 Timóteo 3.16). Escrita por cerca de 40 pessoas entre 1500 e 450 a.C. (livros do Antigo Testamento) e entre 45 e 90 d.C. (livros do Novo Testamento), totalizando um período de quase 1600 anos, a Bíblia Sagrada é o livro mais vendido de todos os tempos, com mais de seis bilhões de cópias.

02. O Peregrino – John Bunyan

Uma das narrativas mais emocionantes sobre as verdades centrais da fé cristã, o livro O Peregrino relata a viagem de Cristão, um personagem espiritualmente abatido que viaja rumo à Cidade Celestial. No decorrer da aventura, ele se encontra com personagens de carne e osso, mas que possuem nomes alegóricos, tais como Evangelista, Adulação, Malícia, Apoliom e Vigilância. Passa por lugares sombrios e medonhos, como o Desfiladeiro do Desespero, o Pântano da Desconfiança, a Feira das Vaidades e o Rio da Morte. Surge em cada encruzilhada um novo desafio que ameaça sua chegada ao destino final.

03. Uma vida com propósitos – Rick Warren

Este livro o ajudará a entender o maravilhoso plano de Deus para sua vida, tanto para hoje quanto para a eternidade. “Uma Vida com Propósitos” é um manual para viver no século 21 um estilo de vida fundamentado nos propósitos eternos de Deus, e não em valores culturais.

04. Mais que um carpinteiro – Josh McDowell

Na tentativa de provar que os argumentos históricos da ressurreição eram frágeis e que Jesus Cristo não passava de uma ficção, Josh McDowell passa meses pesquisando em bibliotecas dos Estados Unidos e Europa. No final acaba levando um susto, pois descobre que os documentos que faziam parte do Antigo e do Novo Testamento bíblico eram os mais confiáveis da História antiga.

05. Por que tarda o pleno avivamento? – Leonard Ravenhill

Muitos perguntam: Por que tarda o pleno avivamento? Ravenhill responde com palavras incisivas e inconfundíveis visando despertar uma igreja confusa, mundana e enfraquecida, para um grande derramamento do Espírito Santo de Deus, que a capacitará a cumprir o seu papel de Família de Deus, Corpo, Noiva e Habitação de Cristo.

06. Por que tarda o pleno avivamento? – David Wilkersononard Ravenhill

Conheça a história de David Wilkerson, jovem pastor de uma cidade pequena, que começou uma campanha solitária ¿ e aparentemente condenada ao fracasso. Foi para o submundo de Nova Iorque para pregar o evangelho libertador às quadrilhas de jovens viciados em drogas, maus e violentos daquela cidade. A princípio zombavam e ameaçavam. Mas, um dia, aconteceu o milagre desejado… líderes se ajoelhavam na rua para orar, enquanto seus amigos observavam quase não acreditando no que estava acontecendo… A Cruz e o Punhal é a história comovente e emocionante do trabalho desse pastor no coração de uma das maiores metrópoles do mundo.

07. O evangelho maltrapilho – Brennan Manning

O escândalo da graça. O Evangelho Maltrapilho foi escrito para pessoas aniquiladas, derrotadas e exauridas. Pessoas que se acham indignas de receber o amor de Deus. Quem sabe, ignoradas pela comunidade de cristãos por não se encaixarem no perfil de super-homem ou de supermulher que lhes é constantemente exigido. Pessoas cansadas da espiritualidade superficial e consumista. Pessoas que travam inúmeras batalhas interiores por não se sentirem parte de uma comunidade afetiva e acolhedora.

08. As 25 Leis Bíblicas do Sucesso – William Douglas e Rubens Teixeira

A Bíblia é o melhor manual sobre o sucesso já escrito até hoje. Ao contrário do que se imagina, ela não trata apenas de religião, mas também de valores fundamentais para se construir uma base sólida para a vida profissional. São lições sobre a importância do esforço e da dedicação ao trabalho, da incansável busca de conhecimento e evolução pessoal, do respeito aos outros e, acima de tudo, de um forte senso de honestidade.

O básico que você precisa saber sobre a Bíblia

Escrita por cerca de 40 pessoas entre 1500 e 450 a.C. (livros do Antigo Testamento) e entre 45 e 90 d.C. (livros do Novo Testamento), totalizando um período de quase 1600 anos, a Bíblia Sagrada é o livro mais vendido de todos os tempos, com mais de seis bilhões de cópias em todo o mundo, uma quantidade sete vezes maior que o número de cópias do segundo da lista dos livros mais vendidos, O Livro Vermelho.

O Antigo Testamento possui 39 livros, enquanto que o Novo Testamento possuí 27, totalizando 66 livros. Esses livros são divididos em capítulos, sendo 929 capítulos do Antigo Testamento e 260 para o Novo Testamento, totalizando 1.189 capítulos em toda a Bíblia. No Antigo Testamento os capítulos possuem 23.146 versículos, já no Novo Testamento são 7.957, totalizando 31.103 versículos. O maior capítulo da Bíblia é o Salmo 119, com 176 versículos. Enquanto que o menor capítulo da Bíblia é o Salmo 117, com 2 versículos apenas.

A Bíblia Sagrada foi dividida em capítulos no século XIII (entre 1234 e 1242), pelo teólogo Stephen Langhton, então Bispo de Canterbury, na Inglaterra, e professor da Universidade de Paris, na França.

A divisão do Antigo Testamento em versículos foi estabelecida por estudiosos judeus das Escrituras Sagradas, chamados de massoretas. Com hábitos monásticos e ascéticos, os massoretas dedicavam suas vidas à recitação e cópia das Escrituras, bem como à formulação da gramática hebraica e técnicas didáticas de ensino do texto bíblico. Foram eles que, entre os séculos IX e X, primeiro dividiram o texto hebraico (do Antigo Testamento) em versículos. Influenciado pelo trabalho dos massoretas no Antigo Testamento, um impressor francês chamado Robert d´Etiénne, dividiu o Novo Testamento em versículos no ano de 1551. D´Etiénne morava então em Gênova, na Itália.

O livro da Bíblia mais traduzido é o Evangelho de Marcos, talvez por ser o mais curto dos quatro Evangelhos e por trazer um relato cheio de ação a respeito da vida e dos ensinamentos de Jesus. Marcos está disponível em cerca de 900 línguas.

Estou condenado ao inferno por ser rico e possuir muitos bens?

Estou ganhando mais dinheiro do que nunca, mas tenho medo de perder a salvação. Como evitar que isso aconteça?

Nas igrejas evangélicas é normal ouvirmos as pessoas repetindo que “é mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus”. Repetir essa máxima como um amuleto sem refletir no que Jesus realmente queria dizer com essas palavras é ignorar o sucesso de pessoas como Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Salomão e tantos outros personagens bíblicos.

Não devemos nos deixar levar por conclusões simplistas de que todos os ricos estão condenados à perdição. Tão pouco o oposto, de que todos os pobres tem garantida a salvação. Nem devemos acreditar que riqueza e pobreza são sinônimos, respectivamente, de humildade e arrogância.

Jesus disse que devemos ficar de sobreaviso contra todo o tipo de ganância (Lucas 12.15). Além disso, lemos em Eclesiastes 5.10 que “quem ama o dinheiro jamais terá o suficiente; quem ama as riquezas jamais ficará satisfeito com os seus rendimentos”. Isso não significa que ter riquezas e ganhar dinheiro honestamente é pecado.

Uma citação de Lucas 16.10 é boa para este tema: “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito”. Sucesso, riqueza e bens financeiros devem potencializar o que você já é. Se você é honesto, fiel a Deus e segue bons princípios, isso não deve mudar à medida que estiver crescendo financeiramente, ao menos que você já tenha tendência para o mal.

Outro erro comum repetido como amuleto, é o de que “o dinheiro é a raiz de todos os males”. A Bíblia não diz nada disso. O que a Bíblia diz é que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (1 Timóteo 6.10). Ter avareza e valorizar as riquezas excessivamente pode ser muito perigoso.

John Wesley, teólogo britânico, dizia que devemos ganhar o máximo que pudermos, economizar o máximo que pudermos e doar o máximo que pudermos. Esse deve ser o sentimento da pessoa cristã que ao se sobressair alcançou muitas riquezas.

Não leve a sério sua riqueza e seus bens. “Não aconteça que, depois de […] aumentarem […] a sua prata e o seu ouro […] o seu coração fique orgulhoso” (Deuteronômio 8.13,14).

Existe um trecho na Bíblia que orienta sobre como o cristão com muitas posses deve proceder: “Ordene aos que são ricos no presente mundo que não sejam arrogantes, nem ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos provê ricamente, para a nossa satisfação. Ordene-lhes que pratiquem o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e prontos para repartir. Dessa forma, eles acumularão um tesouro para si mesmos, um firme fundamento para a era que há de vir, e assim alcançarão a verdadeira vida” (1 Timóteo 6:17-19).

Ou seja, a Bíblia está dizendo que você não deve ser arrogante. Não deve pensar que teve algo a ver com os bens acumulados. E orienta que você faça bom uso das suas riquezas, saiba administrar sua fortuna de forma que seus bens não ocupem os lugares mais importantes da sua vida.

Seu tesouro não deve ser o dinheiro acumulado. O carro do ano na garagem. A casa da praia. A mansão construída em um condomínio residencial. O apartamento luxuoso em um bairro nobre da cidade. Pois, onde estiver o seu tesouro, ali estará também o seu coração (Mateus 6.21).

Faça um exercício: o que você tem que poderá durar eternamente? Seu carro? Esqueça! Ele não vai durar mais do que 10 anos. Isso se você não sofrer nenhum acidente neste período. Sua casa? Provavelmente seus filhos terão que reformá-la. Mas e quanto a sua família? Quanto à igreja? Quanto aos seus amigos? Quanto a sua alma? Talvez seja melhor você investir nestes bens preciosos.

“Pois que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?” (Mateus 16.26).

Estou condenado por ser rico? Bem, quando Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus (Mateus 19:24), ele estava desconstruindo uma tradição cultural judaica.

Os judeus daquela época acreditavam que somente as pessoas bem sucedidas eram abençoadas por Deus e por isso somente quem tivesse muitas riquezas – sinal das bênçãos do Senhor – teriam salvação.

Quando Jesus afirmou que é mais fácil um camelo passar por um buraco de uma agulha do que os ricos entrarem no Reino dos Céus os próprios discípulos ficaram assustados, pois também acreditavam que as riquezas eram sinal de salvação das bênçãos de Deus sobre a sua vida daquela pessoa, pois assim aconteceu com Abraão (Gênesis 13.2).

“Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?”, eles questionaram. A resposta de Jesus Cristo é a seguinte: “E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível” (Mateus 19:26).

Arqueólogos descobrem local onde Jesus Cristo teria sido julgado

Arqueólogos anunciaram terem encontrado restos do palácio de Herodes, onde aconteceu a condenação, segundo narrativa do Novo Testamento, de Jesus Cristo. Um prédio antigo, abandonado em Jerusalém, não guarda apenas as marcas do tempo, mas relíquias  que podem ajudar a reconstruir a história.

O piso do antigo prédio escondia o palco de uma das mais famosas cenas bíblicas: o julgamento de Jesus Cristo. O prédio fica ao lado do Museu da Torre de Davi e no local o governador romano Pôncio Pilatos teria condenado Jesus à morte.

O achado divulgado pelo jornal americano “Washington Post”, foram encontrados durante escavações que tinham como objetivo inicial a expansão do Museu da Torre de Davi. O que se sabia até o momento é que o prédio, localizado no lado ocidental da cidade, havia sido usado como prisão quando a cidade estava sob domínio otomano e britânico.

Os cientistas sabiam que que a prisão estava naquele local, mas não imaginavam que embaixo dela havia uma relíquia histórica. penas agora, depois de anos de escavação e de atrasos causados por guerras e por falta de verbas, a descoberta está sendo exibida para o público em excursões organizadas pelo museu.

Professor de arqueologia da Universidade de Carolina do Norte em Charlotte, Shimon Gibson afirma que estudiosos estão quase certos de que o julgamento de Jesus ocorreu no complexo de Herodes. O episódio é descrito como tendo ocorrido “perto de um portão e em um pavimento de pedra irregular”. Os detalhes coincidem com os achados arqueológicos anteriores perto da prisão.

Versículos que todos cristãos devem decorar

Pesquisas feitas nos Estados Unidos mostram que até um século atrás, a maioria dos estadunidenses bem instruídos conheciam a Bíblia a fundo, atualmente, o desconhecimento bíblico é praticamente total entre pessoas não-religiosas.

Mesmo entre os fiéis, a leitura da Bíblia é irregular, por isso quero sugerir alguns versículos aleatórios para você meditar:

1- João 3:16
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

2 – Romanos 8:28
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

3 – Salmo 46:1-2
Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares.

4 – Salmo 126:2-3
Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua de cãnticos; então, se dizia entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor a estes! Grandes coisas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres.

5 – 2 Coríntios 1:3-4
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação que nós mesmos somos consolados por Deus.

6 – 1 Samuel 16:7
Porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.

7 – João 16:33
Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz, no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.

8 – Romanos 8:32
Aquele que nem mesmo ao seu próprio filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas?

9 – Romanos 8:38-39
Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor!

10 – 1 João 1:9
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.

11 – 1 Coríntios 10:13
Não veio sobre nós tentação, senão humana, mas fiel é Deus, que não nos deixará tentar acima do que podeis, antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

12 – Romanos 12:1
Apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

13 – Efésios 5:1-2
Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados, e andai em amor, como também Cristo vos amou e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.

14 – 1 Pedro 4:9-10
Deus deu a cada um de vocês algumas capacidades especiais, estejam certos de as estar utilizando para se ajudarem mutuamente, transmitindo aos outros as muitas espécies de bençãos de Deus.

15 – Isaías 58.10
E, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá das trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia.

Bíblia com mais de 1500 anos é achada em Israel

Após séculos de especulações a confiabilidade da Bíblia Sagrada ainda é um tema recorrente. O cânon das Escrituras ainda continua a ser questão de debate e muitos cristãos, embora confessem a autoridade da Bíblia, tem dúvidas sobre a imutabilidade dos textos ao longo dos anos.

A influência de comunidades pagãs, teorias conspiratórias contra a Igreja Católica e dúvidas sobre a Reforma Protestante colocam em “xeque” o que se sabe até agora sobre os livros que compõem o cânon Sagrado. Essa variedade de discussões pode ter seus dias contatos.

A Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI) desenvolveu nos últimos anos tecnologias capazes de decifrar um dos pergaminhos hebraicos mais antigos já encontrados. Por causa da deterioração o pergaminho não podia ser lido, por isso não era possível saber do que se tratava os textos.

O que se sabia até agora era que o achado datava de 15 séculos de idade e que foi encontrado em 1970, numa sinagoga em Ein Gedi, perto do Mar Morto. Com o desenvolvimento da nova tecnologia foi possível desvendar o pergaminho, que fazia parte de um Bíblia de 1500 anos de idade, segundo Pnina Shor, porta-voz da AAI.

Só foi possível desvendar o texto graças a uma técnica de escaneamento tridimensional da empresa israelense Merkel Technologies e a ajuda do Departamento de Informática da Universidade de Kentucky, nos Estados Unidos.

O fragmento com sete centímetros de comprimento contém os oito primeiros versículos do livro de Levítico, que explica as regras dos sacrifícios rituais. Durante as últimas quatro décadas, a peça foi mantida no escuro, em cofres climatizados da AAI, junto com trechos dos Manuscritos do Mar Morto. Com informações de Gospel Prime e Israel National News

Qual a importância das doutrinas para a vida cristã?

“Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai como o Filho.” (2 João 1.9)
As doutrinas cristãs são o principal motivo do avanço da Igreja Primitiva. Em Atos 2.42 a Bíblia afirma que os primeiros cristãos “perseveravam na doutrina” e por isso os sinais e as maravilhas eram presentes naquela igreja. Em apenas três décadas a igreja alcançou os pontos mais longínquos do Império Romano.
Aqueles cristãos estavam firmes nas doutrinas apresentadas por Cristo, obedecendo a Palavra de Deus e desfrutando de comunhão em tudo, desde o partir do pão, às orações. Cada um tinha em si um sentimento de satisfação e obediência por causa de Jesus Cristo.
O conjunto de princípios apontados por Cristo como doutrina fundamental para o exercício da fé tinha como base as Sagradas Escrituras, que por sua vez servia de orientação para a nutrição do corpo espiritual e comunhão com Deus. Esse conjunto de princípios não constitui regra legalista, mas um conhecimento profundo que visa alicerçar o nosso conhecimento de Deus (Oséias 4.6).
Diferente do que passou a ser imposto pelo legalismo vigente, as doutrinas cristãs não eram fundamentadas por costumes. A doutrina bíblica cristã não tem fundamento nos costumes culturais, apesar de poder influenciar gerando costumes bons e sadios. Quando maior for o conhecimento das santas doutrinas, melhor será o comportamento dos cristãos.
São os ensinamentos doutrinários da Bíblia que proporcionam conhecimento para a salvação em Cristo. “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina: persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”, disse Paulo em 1 Timóteo 4.16.
As doutrinas bíblicas são os principais ensinos do evangelista quando pretende evangelizar uma alma, sendo este um ensinamento de Cristo: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as doutrinas. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.19,20).
Instruir, aplicar e promover a defesa da fé por meio dos ensinamentos de Jesus Cristo é parte do exercício cristão. Devemos conhecer as doutrinas bíblicas e acreditar nelas, aplicando estes ensinamentos para nossas vidas.

3 verdades práticas para a vida cristã

“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” (Efésios 2.10)

Jesus não deixou uma única palavra escrita pelo seu próprio punho. Porém, foi capaz de dividir a história em antes e depois dele. Os testemunhos dos discípulos e das pessoas que foram impactadas por seu viver fizeram ecoar ao longo dos séculos a história do carpinteiro que com suas palavras, gestos e ações conseguiu mudar nossa maneira de ver o mundo.

As verdades da fé cristã tornam-se eminentes a medida que lemos e conhecemos a história de Cristo. A sua obra no Calvário, o plano divino de redenção e a prática autêntica do cristianismo romperam milênios, enfrentaram guerras, dissipou ideologias contrárias e ultrapassou os limites das fronteiras longínquas onde Jesus Cristo nasceu. Conheça agora cinco verdades para a vida cristã que todos devemos observar:

  1. Convicção da salvação: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Efésios 2.8). A certeza da salvação deve ser eminente na vida cristã. O crente Jesus Cristo deve experimentar a certeza de que ao aceita-lo passou a ser salvo pela graça. Se não crermos que fomos salvos através da obra redentora de Cristo tornamos Deus mentiroso, pois ele prometeu que através da graça nos salvaria por meio da fé, um dom concedido pelo altíssimo.
  2. Crer que estamos em Cristo: “E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus” (Efésios 2.6). Ao aceitarmos a Jesus Cristo passamos a ter uma união com ele, pois morremos espiritualmente para o passado e passamos a ter uma nova vida em Jesus. Ao confortar seus discípulos Jesus Cristo disse para eles ficarem tranquilos, pois através dele seus seguidores teriam paz neste mundo (João 16.33). Ele também falou sobre a videira e os ramos, em uma ilustração que tipificava Cristo e seus seguidores. Além de afirmar que sem ele nós não poderíamos fazer nada (João 15.5). Por fim, é importante permanecer em Cristo (João 15.4), sendo nossa fé a principal característica desta união.
  3. Viver uma nova vida: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2.10). Viver uma nova vida por meio da fé em Jesus Cristo é o principal desafio. Essa verdade prática deve ser observada por todos os cristãos. Nós fomos regenerados e por isso temos uma nova natureza em Cristo. Isso não impedirá que venhamos a errar, mas devemos corrigir nosso erro e abandonar as práticas que não condizem com a verdade cristã.

A certeza da salvação em Jesus Cristo

“Porque que todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo.” (Romanos 10.13)

Um versículo que explica bem o resultado do pecado na vida humana é Romanos 3.23, que diz: “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” Neste versículo o apóstolo deixa muito claro que por causa do pecado estamos distantes de Deus.

Por causa deste distanciamento de Deus acabamos sofrendo. Em outras palavras, estamos aquém do nível espiritual que deveríamos alcançar e por causa do distanciamento acabamos sendo expostos pela maldade do mundo. O padrão de Deus é estarmos em santidade, e “sem santidade ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12.14).

O pecado nos destrói. Quando pecamos recebemos o nosso salário que é a morte espiritual (Romanos 6:23). Esse mal é uma doença contagiosa e atingiu toda a humanidade. Não conseguiríamos pagar essa conta. A conta por causa do pecado é muito alta. Como poderíamos compensar nossas más ações? Não podemos.

Isso não significa, porém, que estamos condenados. Qual seria a saída neste caso? A melhor resposta para essa pergunta está escrita na Bíblia: “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

Deus nos ama e quer nos salvar. Essa é a resposta que você precisa. Ele é um pai amoroso e não quer que seus filhos sofram e por isso planejou a salvação através do seu próprio Filho Unigênito.  Isso quita a nossa dívida com o pecado. O dom gratuito da salvação.

Não poderíamos pagar essa dívida se não fosse por ele. Essa divida era muito grande para ser paga. Mesmo que fizéssemos todas as ações filantrópicas possíveis, mesmo se nosso comportamento fosse o mais justo, mesmo que fizéssemos o melhor, não poderíamos pagar a divida. Tudo o que devemos fazer é crer, crer que ele morreu por você e por mim.

A única pergunta que você precisa responder é: Você aceita essa salvação?